Notícias

Santo Antônio faz entrega de sutiãs de prótese para mulheres mastectomizadas

  09 de Out de 2020 ás 11h 58min


Fátima Aparecida Marques, de 46 anos, foi uma das beneficiadas, revela que o tratamento é agressivo, mexe com a parte psicológica e que a prótese ajuda muito

O projeto “Amigas do Peito” idealizado e mantido pelo Hospital Santo Antônio, entregou, na manhã desta sexta-feira, 09, onze sutiãs de prótese mamária para mulheres mastectomizadas (que tiveram um de seus seios retirados) e que fazem tratamento contra o câncer na ala de oncologia da unidade.

Fátima Aparecida Marques, de 46 anos, uma das beneficiadas, revela que o tratamento é agressivo, mexe com a parte psicológica e que a prótese ajuda muito a devolver a autoestima da mulher. “A gente pensa que vai morrer. A palavra câncer, por si só, já assusta”, dispara ao pontuar que é muito importante fazer preventivos e autoexame para, caso esteja doente, diagnosticar no início para que o tratamento não seja tão doloroso.

O “Amigas do Peito” é formado por uma equipe multidisciplinar composta por enfermeiras, assistente social, psicóloga, entre outros profissionais, já está em seu nono ano e, segundo a administradora do hospital, Andréia Queiroz, já se espera algo grande para o décimo ano do projeto.

“Este ano fizemos um café da manhã bastante singelo por causa da pandemia. Os encontros mensais também foram suspensos porque as pacientes se enquadram como grupo de risco, mas queremos algo bastante grandioso para o ano que vem”, pontua lembrando que ao longo da existência do projeto já foram doadas, pelo menos, 500 próteses mamárias.

Fora do período pandêmico, o projeto promove reuniões semanais e, uma vez ao mês, uma reunião festiva para celebrar a vitória de cada uma delas na luta contra o câncer. Elas promovem festa típica, como festa junina, bingo, dança, brincadeiras e muita comilança. Na outra ponta, aulas de yoga, artesanato, culinária e muito, muito apoio psicológica vindo das profissionais e das voluntárias que já venceram a doença, mas continuam frequentando o projeto para compartilhar suas experiências e dar suporte a quem precisa.